terça-feira, 14 de junho de 2016

Shiuuuu.14.11




Tens um poder em mim inexplicável.
Desde a primeira vez em que te vi, controlaste a minha mente e o meu corpo de uma maneira tão forte! Decidi odiar-te, odiei-te por ciúme e porque era mais fácil de controlar e aceitar tudo o que sentia quando estava perto de ti. Mas eu já me conheço e sabia que aquele ódio podia transformar-se em amor... Foi o que aconteceu.

No dia em que te escrevi aquele bilhete tremia por todo o lado e só tive coragem de o fazer graças ao álcool que bebera na noite anterior e ainda me percorria no sangue. Queria despedir-me de ti de uma maneira diferente, inesquecível. Foi com essa suposta despedida que o meu ódio por ti começou a desaparecer, mas o meu ciúme ainda estava lá, ciúme de não seres meu, só meu.

Nunca pensei que um homem como tu poderia interessar-se por uma rapariga como eu. Sei que é um grande cliché. Tu, um homem feito cheio de objectivos, ideias fixas, bonito até dizer chega, desejado por tantas outras....tu, nutrires algum sentimento por mim, uma rapariga cheia de sonhos, com alma de criança, desajeitada, que mal se sabe maquilhar e que rói as unhas dos pés! Contudo, aconteceu, gostaste de mim e eu gosto de ti. Na verdade acho que te amo.

Tive a certeza disso desde a primeira vez que senti os teus lábios, o teu cheiro, a tua pele, os teus braços...como eu adoro as veias dos braços..adorava adormecer nos teus braços.
A maneira como me controlavas fazia-me tremer, não de medo mas de desejo. Desejo que só senti uma vez na vida na vida e foi por ti. Ai como eu adorava quando as tuas mãos passeavam o meu corpo...

Entreguei-me a ti como nunca o fizera a ninguém e fui respeitada como nunca ninguém me respeitou. Era amor. Sabia que tinha o melhor que podia desejar para mim, mas mesmo assim não chegou. Amar só não chega.

" És uma princesa...um bocado desajeitada mas és uma princesa"
Quando ouvi estas palavras da tua boca já não me restavam dúvidas do que éramos e do que sentíamos um pelo outro. Foi amor.
Tenho tantas saudades tuas, de nós.

Perdi-te por um erro tão estúpido que me consome de uma maneira tão grande e me faz desejar-te uma última vez..só mais uma vez.
Espero que saibas que és a pessoa que me conhece melhor...em todos os sentidos...o teu poder em mim...

Por fim, espero que sejas feliz, muito feliz. Espero que cuides e que cuidem de ti. Espero que saibas que foste e continuas a ser o melhor que me aconteceu na vida, foste o meu maior e melhor segredo, e que à noite ainda te desejo. Enquanto te amar vou continuar a ser tua, só tua, mais ninguém me terá. Mesmo que tu já não me queiras. É o amor. 
Nunca me vou perdoar por te ter perdido.
Sabes que ainda não me perdeste...
Amo-te.

Para sempre tua.

3 comentários:

Anónimo disse...

Podia ter sido eu a escrever isto. Não estás sozinha!

Anónimo disse...

Róis as unhas dos pés?! Wow, grande flexibilidade!

Anónimo disse...

Isto pode ser a história de tantas más decisões na vida. Faz-te à vida, ou vais à luta, ou larga isso de vez.