terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Shiuuuu.16.11




Voltei a discutir contigo... e não tem sido diferente desde que me conheço. Tanto estamos bem, como parecemos o cão e o gato. Não há momento algum que eu tenha sentido que te tenha deixado orgulhosa, ou que tenha feito a escolha certa. 
Acho que o que te faz realmente feliz e consideras um acto de carinho é arrumar-te a casa de cima abaixo, passar a roupa que esta na pilha em cima da cadeira, fazer-te o comer, arrumar a cozinha e ainda inventar mais algum trabalho, só para me veres ocupada... ao invés de estar sentada a ver a telenovela ou uma merda qualquer que esteja a passar na tv, ou simplesmente a colorir o meu livro de mandalas.... 

Não sei como a nossa relação chegou a este estado. Quem sabe estejamos cansadas uma da outra, e eu realmente preciso de arranjar um canto para mim, sem os teus julgamentos ou olhares reprovadores. Mas por outro lado ficas amuada se tenho um jantar com as amigas, finges que não sabes quem são. Teimas em desconfiar de mim como se eu te desse motivos... quem sabe te esconda muitas coisas porque já vivenciei porque conheço essa tua mania de julgar tudo, de achares que tudo é negativo... Mas depois vens de novo com «faz-te a vida, imigra, procura outro trabalho. Não sei como vais conseguir sustentar-te assim para sempre.....» Não imaginas como dói tudo isto, sentir que estou a mais na casa que deveria ser o meu porto de abrigo, e ao mesmo tempo sentir que não me dás asas para voar, que me prendes aqui não sei bem como, mas prendes. 

Sinto tanta vergonha de ser assim, uma falhada... Uma inútil que não consegue lutar pelo o que quer por medos que não são meus, foram-me incutidos por ti.... mas que acabam por me bloquear e me deixam sem reacção. E ai sinto que venceste mais uma vez, que tens prazer em me manipular desta forma. Amar não devia ser assim, e os pais tem de vir preparados para esta missão que um dia, todos temos de procurar o nosso caminho.

Eu só queria encontrar o meu...

2 comentários:

Yin disse...

Essa relação claramente não te faz feliz! Espero que consigas encontrar a coragem e o amor próprio para colocar um ponto final à situação. Força!

Anónimo disse...

Acho que falas da tua mãe,
Tenho exatamente a mesma relação com a minha, parece que só fica feliz quando me vê a andar de um lado para o outro a fazer coisas em casa, parece que só fica contente se chegar a casa e ver diferensas na arrumação e isso.
Mas a diferença entre eu e tu é que felizmente consegui arranjar um emprego, já saiu de casa sem lhe dar justificações, mas o que me chateia é ter de a ouvir sempre a falar dos meus defeitos, coisas que não faço, por isso tambem gostava de arranjar o meu espaço, nao por me sentir a mais. no fundo eles têm-nos a nos como nós os tivemos a eles quando precisamos.