quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Shiuuuu.18.11

 
Quanto mais o tempo passa, mais eu gostava de voltar a ser criança. Às vezes consegue ser duro ter que enfrentar o dia-a-dia e as pessoas que nos rodeiam. Dizem que temos que nos apoiar na família e nos amigos. E com o passar dos tempos percebi que a família é o mais importante que podemos ter, são eles que nos dão tudo. E os amigos também, se os souberes escolher. 

Recentemente fiquei desempregada. E custa. Custa muito estudar quase 20 anos, ter uma licenciatura e ficar aqui de braços atados sem conseguir. É um desespero e manda-me para baixo todos os dias. Todos os dias me questiono se tirei o curso certo, se este era o meu caminho. E depois penso que agora tem que ser. Todos os dias tenho fé que as coisas mudem.

Para além disto, a relação que tinha acabou há uns dias. Depois de quase um ano a aturar um namorado controlador, possessivo e violento. Hoje pergunto-me como foi possível ter entrado nisto? Como foi possível as coisas chegarem a este ponto? Já devia ter saído da primeira vez que me ameaçou, empurrou e não me deixou sair do quarto. Mas eu acredito sempre no lado bom das pessoas e que elas podem mudar (tão estúpida e inocente) e na primeira dei o benefício da dúvida. Mas isso não parou por aí… 

Obrigou-me a apagar o facebook, afastei-me de quase toda a gente (inclusive amigas porque para ele, elas não eram boas amigas), deixei de ir a jantares e a saídas. A última vez que tive com ele ameaçou-me de punho fechado na minha cara e disse que me partia a boca toda, entre outras coisas. 

Hoje pediu-me desculpas e queria que eu voltasse para ele. Eu decidi que esta era a altura para virar costas. Nunca senti tanto medo como naquele momento. Quando procurei alguém para falar, parece que afastei tanto as pessoas de mim que elas já não estavam ali. A violência física ou psicológica, é isso mesmo, violência. E não há nada neste mundo que justifique isso. Às vezes as pessoas mandam comentários descabidos do género “só estás a sofrer porque queres”, claro que isso é mentira, ninguém gosta de sofrer, mas só quem está dentro da relação é que sabe. Se eu aturei tanto é porque nem sempre era mau. E depois acreditei que as coisas fossem mudar, que ele fosse mudar. É sempre mais fácil falar quando se está de fora. Até porque isto já aconteceu a uma amiga e eu fui a primeira a dizer “isso não te faz bem, tens que sair”. E olhem onde eu cheguei… Ninguém está livre, de nada, nesta vida.

Há alturas que sinto que já não pertenço aqui. Que me apetece desaparecer e virar costas a tudo isto. Já tive amigos que se suicidaram e nunca consegui muito bem perceber, mas acho que só quem sente é que percebe. Para mim há sempre solução para tudo, menos para a morte.

9 comentários:

Casaert disse...

Estás no início de um novo recomeço, agora é aproveitares as oportunidades e escolheres um novo rumo, vai...

Abraço

Anónimo disse...

Já deste o primeiro passo. Não voltes atrás, agarra-te com todas as forças ao "mereço melhor", porque mereces.
Às vezes a vida põe-nos à prova de formas muito duras, mas lembra-te "não há mal que sempre dure" e é verdade. Se não te livrares do mal não estarás livre para o bem que te pode aparecer a qualquer momento.

A parte de perder o trabalho é outra luta. Espero que encontres outro trabalho em breve. Não permitas é que "só" porque te sentes uma merd@ (todos nós por vezes nos sentimos) te tratem como tal. A vida dá muitas voltas e a maior força tem sempre de ser nossa.

Abraço apertado.

Anónimo disse...

Não voltes atrás nessa decisão! Eu passei por uma situação semelhante, mas infelizmente deixei que avançasse. Ainda hoje, um ano depois, ele me ameaça, persegue, está completamente louco.
Não deixes que ele te controle! Afasta-te o mais possível dele, não dês nenhuma hipótese de contacto... Acredita que estás muito melhor sem uma pessoa como ele ao teu lado. Tu mereces melhor, é nisso que tens de te focar. Pensa mais em ti, muda a tua rotina, muda a tua vida... Não é fácil mas acredita que compensa...
Quanto ao emprego é uma situação complicada... Nunca desistas! Mesmo que não seja na tua área, procura outra coisa nem que seja só por uns meses. O que importa é que te distraias dos problemas porque quanto mais pensamos neles, mais difíceis de resolver se parecem... Força!

Sunshine disse...

Aposto que és uma pessoa cheia de força para recomeçar. É um ponto de viragem e desta vez para um caminho bem melhor... estares bem contigo própria! (:

Tens o meu blog caso precises de alguma coisa (: Só não quero que desistas agora que tiveste a atitude que custa mais, saltar fora do buraco escuro onde te estavas a meter :)

Filipa disse...

Como é bom ler comentários destes. é um grande sinal que a humanidade não está assim tão perdida. Fiquei feliz por sentir que o bem continua mais presente. Para a autora do segredo, acho que não posso acrescentar muito mais ao que foi dito :) Não desistas, e o viver vai começar agora. Força!

Anónimo disse...

Eu acho que é uma escolha.
Apartir de determinada altura quando a relaçao fica numa situaçao de vida ou de morte, deixa de ser uma escolha, mas no inicio é.

Há mulheres que no primeiro estalo, por mais amor que sintam, saiem dai, outras que depois do primeiro estalo escolhem ficar.
Qual é a diferença entre estas mulheres ? essa é que seria uma questão interessante, porque seguramente que ambos os casos a relaçao tambem tem momentos bons.
Não é á toa que há mulheres e homens que até depois de uma relaçao violenta, escolhem a seguir ter outra relaçao violenta, isso acontece muito, esse padrao.

Eu acho que era interessante a autora pensar sobre isso, o que é que a levou a ser vitima de violencia domestica. A resposta "eu gostava dele" não é valida, porque as que abandonam imediatamente os seus parceiros tambem gostavam deles, se calhar até mais que a autora.

Pense nisso, pense com mais profundidade, o que é que a levou a sugeitar-se dessa forma, e não com essa ideia de que "pode acontecer a todas" porque isso não é verdade. Há bilioes de mulheres no mundo que provam que isso não é verdade.

Força e olhe para o que aconteceu com realismo, não mascare as coisas, só assim é que pode evoluir.

Anónimo disse...

Uau! Grande força! Boa, boa!

Anónimo disse...

Mta força e parabéns pela sua attude de ter saído disso!

Anónimo disse...

Fogo, pensei que tinha sido eu a escrever...
Faz uns 5 anos desde que acabei uma relação assim, em que todos se afastaram de mim...
A minha sorte foi ter ido estudar para outra cidade e fiz outros amigos que me ajudaram :(
Força nisso e acredita que não há solução para a morte, mas há para o suicídio.
Leva tempo a ajeitarmos a nossa vida, mas vais conseguir, tal como eu consegui!
Beijinhos...