sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Shiuuuu.06.11

 
Tenho 21 anos e descobri que vou ser mãe. Namoro com o pai do bebé (que tem apenas 18 anos) há 8 meses, e quando fizemos 6 meses mudamos de país para vir estudar e moramos juntos. As coisas têm sido complicadas pois só agora arranjamos trabalho, e até a data têm sido os nossos pais a pagar-nos as contas. 

Eu já fiz um aborto uma vez, contra a minha vontade, e jurei a mim mesma que nunca mais voltaria a fazer. Sempre fui sincera com o meu namorado em relação a isso, e sempre lhe disse que se alguma vez engravidasse não iria tirar, fosse em que altura fosse da nossa vida. E mesmo assim ele aceitou e juntos tivemos relações desprotegidas. Agora estou grávida, quando soube chorei pois tudo o que me passava na cabeça era medo e incertezas sobre se seria uma boa mãe ou não, ou se merecia tamanha dádiva. Ele tentou persuadir-me a abortar, e eu mantive-me firme à minha decisão. 

Contei a minha família, que me apoiou e suportou e ficou mais do que feliz com a notícia. No entanto ele só vê as dificuldades que podemos passar e tenta me persuadir a tirar porque alega amar-me e querer ainda viajar e aproveitar bastante tempo só nós os dois. Diz que espera ter um filho comigo, mas não agora. Está cada vez mais distante e faz-me sentir que eu estraguei a vida dele. 

Eu estou feliz com a minha gravidez, mas há momentos em que me sinto uma merda por estar feliz com isso e não conseguir ser tão fria como ele. Tenho pensado seriamente em arrumar as minhas coisas e ir morar para outro lugar e deixá-lo viver a sua vida, e ter cada coisa a seu tempo enquanto eu me viro sozinha com o bebe. A verdade é que vou ser mãe, e apesar de só ter 5 semanas de gestação ainda, eu já o amo mais do que tudo.

Não sei o que fazer em relação ao meu namorado, ou a família dele que insiste em chamar-me egoísta e achar que devo abortar, tal como ele. Sinto-me cada vez mais angustiada e sozinha, estou num país em que sou só eu e ele, e isso ainda dificulta mais pois não tenho aqui a família ou amigos para onde possa me refugiar um bocado.

34 comentários:

Anónimo disse...

Não percebo, tendo tudo o que foi dito em conta, porque é que tiveram relações desprotegidas.

Anónimo disse...

Se falaram sobre o assunto e mesmo assim tiveram relações desprotegidas, agora ha que assumir as consequências. Ser adulto é isso mesmo. Um bebé não se gera sozinho e a "culpa" é dos dois.

Anónimo disse...

Ele tem 18 anos, não se vê como pai e não quer ser pai. Acho que ninguém de 18 anos quer, verdade seja dita.
Volta para a tua família

Briana disse...

se não queres abortar não deves fazer.. Mas deviam de ter tido mais cuidado, deviam de ter tomado precauções para que isso não tivesse acontecido.. Mas agora já está e não devem andar a massacrar-se.. Mas sim tentar dar todo o amor possível ao bebé

Anónimo disse...

Lamento a situação em que estás.
E desculpa, mas são ambos muito imaturos. Namoram há pouco tempo e foram para outro país sem trabalho a viver do apoio dos pais. Para além disso, tinham sexo desprotegido.

Não é preciso ser adivinho para se saber o que aconteceria. Ele não quer ser pai (18 aos!!!) e tu aos 21 e sabendo que já abortaste não tomaste precauções.

E agora? Ele está distante, como será quando a criança nascer? Estás sozinha. Volta para casa.
Vocês são muito novos e ele ainda mais.

Anónimo disse...

Muita falta de responsabilidade

Anónimo disse...

As acções têm consequências, como já devias saber. Não só porque és mais velha, na verdade o teu namorado ainda é um puto, mas também porque já passaste por isto antes...

Boa sorte

Anónimo disse...

Ele tem 18 anos, é mais do que normal que não queira ser pai neste momento. Se fosses tu a ter 18 anos provavelmente também não querias ser mãe. Tenta perceber o lado dele. A vida dele ficou estragada...

Anónimo disse...

Ainda nem se conhecem bem, ele disse o que querias ouvir (abortar nunca +) e agora és pressionado por ele e pela família.

Não estudam? Nem que seja numa escola profissional? Como vão criar a criança? Vão continuar a viver do apoio dos pais?

Se estás grávida há pouco e já notas diferenças no comportamento dele, imagina como será de futuro.

Namoras com uma criança, em teoria é adulto, mas sabemos que ninguém aos 18 anos o é

Anónimo disse...

Quem dorme com criança acaba molhado

Anónimo disse...

O que acharam que iria contecer???!

Anónimo disse...

Enfim... agora olha!
Parece-me que brevemente será ex

Anónimo disse...

Bem, eu tenho mais 2 anos que tu e estou parva.

1º saem do país e são sustentados pelos pais;
2º Depois de já teres feito um aborto, tens sexo desprotegido;
3º Estás a ser coagida pelo namorado e pela família dele;
4º Estás isolada;
5º Aos 21 anos estás na tua 2ª gravidez;
6º A tua família está feliz por estares grávida aos 21, de um miúdo de 18 com quem namoras há menos de um ano.

Desculpa, mas tudo está errado nesta história.
Ele ainda nem a personalidade tem formada. Como já escreveram, ele tem a vida estragada. Assim como a tua e é exactamente por isso que se tomam precauções!

Faz o que achares que deves fazer, os pais dele não querem um neto do filho de 18 anos, porque terão que sustentá-los (ao filho e ao neto!) e porque sabem que regra geral os namoros aos 18 anos não são para a vida.
Por que não voltas para casa? mais facilemnte arranjas trabalho num supermercado do que qualquer coisa num país onde não és fluente na língua

Anónimo disse...

Ou seja, a primeira vez não deu para perceberes como os bebés são feitos...

Anónimo disse...

Ficaram surpreendidos, não me digas.

Anónimo disse...

Vais ser mãe solteira, mentaliza-te disso.

Anónimo disse...

Não entendo o conceito de "vida estragada" porque se tem um filho cedo. Não passei por isso, não saberei avaliar corretamente, mas parece-me uma avaliação demasiado supérflua.
Não será fácil, é certo, ter filhos nunca é.
É cedo, é certo, mas não me parece razão válida para abortar (não são exatamente crianças, já são adultos, ainda que muito novos).
Correram riscos completamente desnecessários ao ter relações desprotegidas, mas agora está feito, e se não queres abortar novamente, não o faças.
Se ele agora acha que estás a ser egoísta, se abortares, serás tu a olhar para ele no futuro e a pensar o mesmo.
Estás perante uma encruzilhada na vida. Terás de ser tu, mais que ninguém, a decidir o que fazer, porque tu é que terás de viver com a decisão (ele também, é certo, mas...).
O meu conselho é apenas: segue o teu instinto! Parece-me que tu já sabes o que fazer, só ainda não tomaste o passo!

Felicidades!

Anónimo disse...

Agora já não adianta dizer, mas tudo pelo que passas era escusado.
Agora tens 1 miúdo (tu própria dizes apenas 18 anos) e 1 filho na barriga.

Anónimo disse...

Depreendo que és lenta na aprendizagem.

Um puto de 18... enfim

Anónimo disse...

Estou com o anónimo das 13:57
Tanta coisa parva neste segredo.

Eu não acho normal que uma pessoa de 21 anos vá na 2ª gravidez

Anónimo disse...

Que situação a tua (porque não merece a pena falar do namorado) que era tão facilmente evitável.

Tenho 37 anos, não tenho filhos e não tenho idade para ter uma filha da tua idade, mas tenho a certeza de que não estaria feliz se uma filha de 21 anos engravidasse de um adolescente com quem namora há 8 meses e com quem vive há 2.
Ambos a viver do dinheiro dos pais.

Como já te disseram, volta para casa. Estás sozinha a ser pressionada por ele, que nem sabe ainda quem é quanto mais o que é ser pai.

Anónimo disse...

O meu cérebro deixou de funcionar quando tu dizes que te recusas a fazer um aborto e a seguir dizes que tens sexo desprotegido, nem sequer vou analisar o resto.

Pessoalmente, com o meu corpo, sou completamente contra o aborto, sempre fui, por isso até ter uma relação estável com o objectivo comum de termos um filho, sempre usei "cinto e suspensórios", nem sequer um susto tive e nunca fui santa.

Anónimo disse...

Nada disto tem cabimento.
Sem ofensa, mas são parvos ou quê?
Ainda mais tu que viveste um aborto e resolveste ter sexo desprotegido.

Desculpa lá, s+o tenho pena da criança. Crianças a terem crianças.
Não há trabalho, não há estrutura.

Vais ser mãe solteira. Não é o puto de 18 anos que te vai ajudar!!!!!

Anónimo disse...

Pois anónima das 17.58h já eu fui muito "santa" pois só perdi a virgindade aos 18 anos (com o meu actual marido) e, no entanto, apesar de usar sempre "cinto e suspensórios" eu engravidei (aos 19 anos). E, apesar de sempre ter pensado que seria incapaz de abortar, fui a um local para o fazer... não por ser pressionada por ele mas por estarmos a viver juntos há pouco tempo (1 ano), por ter ficado desempregada pouco tempo antes, por achar que não tinha possibilidades financeiras para sustentar uma criança e por me sentir completamente perdida...

Quando vi o "positivo" no teste o meu mundo ruiu. Eu, que estava a poupar para poder ir para a faculdade, nós que tínhamos planos de trabalho para ganhar muito melhor para pouco tempo depois... e aquele balde de água fria. Senti que nunca mais na minha vida poderia aspirar a nada, que nunca sairíamos da cepa torta e nunca teria nada para oferecer ao meu filho.

Digo-lhe isso somente para não cuspir muito para o ar pois eu também tinha essa mania. O de achar que só porque me protegia e sempre fiz tudo certo "nada de mal" me podia acontecer.


Ao contrário do que disseram aqui, o meu filho não me estragou a vida, é o motor e a força motriz quando me apetece mandar tudo ao ar.

Eu trabalho, o meu marido conseguiu o tal emprego que o levou a ganhar muito mais e mesmo muito bem (eu não o consegui por estar grávida na altura). Temos uma vida financeira, relacional e emocional estável. Casamos uns anos depois, consegui tirar o curso que sempre quis (e que os meus pais não me puderam pagar) e agora estamos a planear uma segunda gravidez.
Uns bons anos depois, se pudesse estar ao lado daquela miúda de 19 anos, que tremia e entrava em pânico por perceber que estava grávida, diria-lhe que um dia ela olharia para esse dia e se iria arrepender de não dar pulos de alegria, que sentiria culpa por ter sequer posto a hipótese de abortar a pessoa mais importante da sua vida.

A vida dá tantas voltas... Claro que engravidar cedo não é o ideal mas dizer que um filho estraga a vida?? Não posso discordar mais. Ele tornou a minha vida mais difícil, fez com que as minhas batalhas fossem mais complicadas de superar, obrigou-me a dar muito mais de mim ... mas não trocava nada no mundo por ele. Nada.
Gostaria de o poder ter adiado uns anos, de o ter quando tinha planeado... mas a vida trocou-me as voltas.


Ps: Quanto à parte de a autora não usar protecção e não querer engravidar acho que é imaturidade pura e estupidez.
O facto do namorado não querer ter filhos e não se proteger e agora a querer obrigar a abortar acho simplesmente monstruoso, imaturo e parvo.

Pedro disse...

Concordo com os 6 tópicos e confesso que também estou um bocado em estado de "choque" com tudo.
21 anos ir para estrangeiro com namorado de 18 os pais colaborarem e ajudarem.. e se a primeira correu mal e abortou agora cair na mesma asneira de não usarem protecção .. bem apesar de tudo espero que continue a com apoio da tua família e também amigos e que corra tudo pelo melhor. E não cedas a pressões se queres seguir com a gravidez então que corra tudo bem e felicidades.

Sunshine disse...

Anonimo das 19:54: Uau! Obrigada pelo testemunho (:

Para ti "miuda" que tem praticamente a minha idade, não percebo como tens relações sexuais desprotegidas e dizes que não pretendes engravidar , nem a pílula?!?!?! Mas estamos em que século?!?! Uma coisa é engravidar tomando as precauções, que acontece, outra coisa é por-se a jeito!

Quanto ao resto, tenho que concordar aqui com o Pedro, se queres seguir com a gravidez, segue... mas espero que sejas feliz e que as pessoas te continuem a apoiar!

Anónimo disse...

O seu caso terá sido REALMENTE um acidente. Nesse caso não condeno, eu usei sempre pílula e preservativo e nunca tive susto nenhum. Tenho 40 e um filho de 8.

Agora também tinha a noção nos meus 20/25 anos que se ficasse grávida , apesar de levar a gravidez até ao fim, o mais certo era ter ficado sozinha, já do que me lembro das pessoas com quem tive uma relação não eram suficientemente adultos para o assumirem.

Agora, não querer fazer um aborto, não ter maturidade psicológica e financeira para ter um filho e não tomar precauções é única e somente estúpido.

R disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Primeiro parabens, eu acho que bébés são uma coisa boa, uma benção.

Dito isto, como é que tens 21 anos e ja engravidaste 2 vezes ? que irresponsabilidade da tua parte E do teu namorado.
Muita irresponsabilidade, não há palavras, não há mesmo palavras.

Só te resta ser adulta pela primeira vez na vida e assumir, o rapaz tambem é obrigado a assumir nem que seja por tribunal, se sabem ter relaçoes sexuais, sabem as consequencias.

E por favor, nunca mais na vida tenhas sexo sem preservativo, a gravizes é a coisa mais simples que pode acontecer, a mais simples.
Imagina se tivesses apanhado uma doença mortal ?
Tem noçao do ridiculo.

Boa sorte.

Anónimo disse...

Eu tenho 38 anos, sofro de infertilidade, tenho um filho de 4 anos e perdi um bebé no ano passado... não sou uma pessoa isenta, como podes compreender. Para mim tu estás a ter aquilo que eu sonho... aquilo que mais desejo "engravidar sem querer".

De mim recebe os meus parabéns!
Só não compreendo uma coisa... se ele não queria ser pai pq não usou preservativo?

Anónimo disse...

Quanta infantilidade nesta história.

Anónimo disse...

Pois eu tive o meu bebé aos 22, agora ela tem 13 e é o meu bichinho grande, sobretudo ao lado da irmã que tem 6. Custou? Yep. O relacionamento durou? Nop. Mas encontrei o pai da minha segunda filha que é um homem fabuloso. Tenho o melhor de todos os mundos. Perdi anos de viagens e crescimento e diversão? Sim. Mas ganhei tanto em troca. Tanto...

Anónimo disse...

Se não queres abortar, não deves abortar. Mas ele também não sera' obrigado a ficar contigo. Nem tu com ele. No pior dos casos, volta para a tua familia, ele vai assumir as consequências (pensão alimentar e com sorte vir ver o filho). Mas da mesma forma que ninguém te pode obrigar a abortar, ninguém o pode obrigar a ficar.
21 anos e engravidaste duas vezes. Não sei as circunstâncias, mas possa... tomas a pilula? Se sim o preservativo não é uma obrigação, eu não quero filhos agora e não uso preservativo.
Eu tivesse tido um filho jovem, teria abortado. Mas isso sou eu. Cada um tem as suas ideias.

Volta para casa e so assim poderas reflectir realmente no que queres sem pressões

Anónimo disse...

Egoístas e assassinos são eles, que querem matar um bebé no seio da sua mãe!
São loucos???!!!