sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Shiuuuu.14.11

 
Tenho 25 anos, fui uma das melhores alunas do curso e apesar de todo o sacrifício e esforço ainda não consegui acabar o mestrado. 

Ver projetos piores que o meu serem aprovados, fizeram-me cair num buraco de desilusão e sem esperança quanto ao futuro porque não vejo fim a isto. 

Não entendo como os “burros” e “desleixados” vão passando e eu continuo presa a este inferno.

9 comentários:

Carla Alexandra disse...

Pensa que se calhar a "burra" és tu... Não quero ser mazinha mas se calhar aqueles projetos que dizes serem piores que os teus são na verdade melhores que os teus e só tu é que não vês isso.

Vera Caeiro disse...

Força. Tudo se resolve com o tempo.

Anónimo disse...

O maior burro é aquele que não quer ver.
Ter boas notas não quer dizer nada, há muito boa gente que tem excelentes notas na universidade, quando começam a trabalhar saltam de empresa em empresa porque não têm estaleca para aquilo nem as empresas os querem. Marrar, decorar não é sinónimo de inteligência.
Vai aproveitar a vida, talvez aprendas alguma coisa.

Anónimo disse...

Devia levar a vida com mais leveza! compreendo perfeitamente o que diz porque é muito comum num ambiente académico! sabe o que é que eu aprendi?! que o mundo é mais dos espertos do que dos inteligentes :)
Faça um favor a si própria: foque-se nesse "inferno" e decida que é para acabar sem se preocupar com a nota que terá ou não! e pare com essas comparações que não a levam a lado nenhum, a não ser deixa-la frustrada, porque descobrirá que no mercado de trabalho ainda é pior. idiotas por todo lado e em chefias então... ui!! Acabe lá isso :) boa sorte

Anónimo disse...

Anónimo das 18:12... Olhe que não é bem assim. Há cursos que não são de "decorar". Eu por exemplo estudei antropologia, e nesse curso quem tem as melhores notas é porque é mesmo melhor, já que em todas as avaliações o que se testa é a capacidade do aluno para pensar.

Anónimo disse...

Eu até compreendo a frustração. Quem nunca teve algum parasita a aproveitar-se do seu trabalho? Quem nunca teve alguém a roubar o mérito de um trabalho? A passar por trabalhador quando nem aparecia nas reuniões de grupo? Quem nunca teve um colega que só aparecia quando era dia de orientação teórica e só aparecia porque sabia que o professor lá ia estar? Quem nunca teve um colega de grupo que só estudava as apresentações para fingir que sabia do trabalho (mesmo não tendo escrito 1 palavra do dito)? Quem nunca? Provavelmente todos já passaram por isso e, na realidade, outros tantos vão passar.


Vou dar-te a minha honesta opinião e o que faço quando me encontro em situações semelhantes: Concentro-me em mim e naquilo que tenho/preciso de fazer.

Acho que a falta de capacidades para as áreas se vão notando, principalmente nas disciplinas mais práticas (E a média não é tudo mas quando se recebe centenas de curriculae será que se chama o miúdo que tem 10/11 de média ou aquele que tem 15/16?. Para além disso, quem tem média de 10/11 aprendeu o quê na universidade? Dedicou-se ao quê?! Será que tem qualquer competência para a prática da sua profissão? Claro que todos os cursos têm "cadeirões", todos têm disciplinas mais difíceis ou professores mais intransigentes onde é quase impossível tirar boas notas mas acabar com média de 10 é porque se andou a trabalhar mesmo só para passar, não é? Alguma empresa contratará alguém (sem cunha) que andou 3/5 anos a "lutar" só para não chumbar? É isso que as empresas procuram? Eu duvido).

Por isso, em relação a essas pessoas eu faço a única coisa que posso fazer: deixo-as enterrarem-se a si mesmas. Quem não sabe, não sabe. Pode levar hoje copianços para o exame, amanhã preparar bem a apresentação mas e quando são as perguntas inesperadas?! E quando tem que mostrar frente-a-frente a um professor que sabe?! Que aprendeu?! Esse tipo de pessoas enterram-se a elas próprias, ninguém precisa de fazer nada por isso. Até podem ir passando pela "porta dos fundos" seja por cunha, por serem conhecidos, por pagarem a quem lhes faça mas, a menos que tenham uma excelente cunha que esteja disposto a sustentá-los ad eternum, mesmo sendo incompetentes, eu acredito que essas pessoas acabem no olho da rua em 3 tempos.


Se fores boa/bom na tua área isso acabará por notar-se de uma maneira ou outra. Eu acredito nisso. E nem é pela média, é pela dedicação, amor à área e vocação. Quem passa anos "à boleia", com base de copianços ou a inserir-se em grupos para não trabalhar acaba o curso sem aprender. Para mim não faz sentido e não acredito que venham a ser bons profissionais, porque simplesmente não sabem nada.

Anónimo disse...

Se isso te ajuda muito? Não. Facto é que não podes fazer nada pelo facto de outros projectos terem sido aprovados. Sejam eles de pessoas que até tinham mérito para isso ou de alunos que não dão uma para a caixa e por algum "milagre" aconteceu... Por isso, provavelmente o meu comentário não te ajuda muito até porque o que eu vim aqui te dizer é o que tenho praticado comigo mesma: foca-te em ti.
Se há coisas que revoltam e são injustas? Sim. Só que lamento informar-te mas tu não vais mudar o mundo e a única coisa que podes fazer é esperar que quem é mesmo mau se enterre a si mesmo na sua própria incompetência.

Quanto a ti: Procura os teus defeitos, ouve as criticas, gere as criticas e aprende com elas. Melhora. Não fiques arrogante pelo facto de achares que sabes mais, que merecias mais nem te percas em auto-comiserações. Tens um projecto, ele não foi aprovado. É a tua realidade. Foca-te nele, foca-te em ti, no que precisas de mudar e melhorar em ti. Aperfeiçoa-te e aprende o mais que conseguires. Podes até ser muito bom na tua área e teres todas as competências aí ou talvez não. As competências adquirem-se. Vai atrás delas.
No fundo, sabes que irás aprender quando avançares dessa fase, serás melhor, mais perspicaz.
E o facto de não te correr tudo bem à primeira? Faz parte. Aprende a ser persistente e não desistas. Não te compares. Olha para ti, faz por ti e ignora o resto.


Ps: Além de tudo o que te disse, quem te garante que o teu projecto não é aprovado porque quem o está a avaliar sabe que és capaz de melhor? Já vi a acontecer...talvez estejam a dar-te a oportunidade de evoluíres mais e de perceberes algum erro que estejas a cometer sem dares conta.

Anónimo disse...

Não é fácil ver-mo-nos presos no tempo por uma coisa como a tese que só nos empata tempo. É preciso muita força de vontade e é algo muito complicado e exigente, estou a passar por isso também e já não posso mais ver aquilo à frente. Mas por mais que custe temos de tentar encarar esta tese como o que é: um trabalho, uma fase, que não nos caracteriza nem espelha. É um trabalho que tem alguma importância mas não é tudo, nem de perto nem de longe. Eu já tento convencer-me que entregarei o melhor que neste momento me é possível porque sei que conseguiria muito melhor (e isso é frustrante) mas há muita coisa externa a condicionar a nossa prestação. Afinal, é só uma tese, não temos a nossa vida em jogo por causa disto (embora às vezes ache isso xD). Força, hás-de conseguir!
D Verde

Anónimo disse...

por acaso tbm andas na faculdade de belas artes de lisboa?