terça-feira, 18 de setembro de 2018

Shiuuuu.18.10



Desde que me separei que o maior medo era ficar sozinha. Agora 7 anos depois apanhei o gosto de estar assim..não é egoísmo, são as desilusões da vida ou como lhe prefiro chamar a minha "má sina", pois sei que não sou assim tão má pessoa. Sempre fui boa mulher, namorada, amante, sempre dei o meu melhor mas nada disso impediu uma separação por interesse. Um "des"amor ou coração partido por não ser aceite como sou, uma traição de quem mais confiava, ser enganada só porque tinha o vício de andar com outras mulheres (não falo de uma pessoa só) exemplifico sim ao longo destes anos....

Aventuras também as tive, só que o que queria mesmo era ser querida e desejada por quem sou e não como sou. Porque ao longo deste tempo, aquela sensação de que o desejo inicial desaparece a curto prazo e aí passo a ser desejada pelo corpo, pelo prazer...Má Sina....acredito mesmo que existe e que me foi rogada alguma praga quando era mais nova...não consigo chorar quando me sinto só, não tenho vontade de estar com mais ninguém...e desistir é agora uma certeza cada vez maior porque o meu coração não aguenta mais quem brinque com ele. 

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Para PM



Quando te conheci, sabias que eu estava demasiado frágil, mas fomos conversando durante horas, enviavas mensagens super carinhosas, sempre muito atencioso...elogiavas-me e metias-me quase num pedestal! Dizias que o meu ex-namorado não me tinha dado o devido valor, que não tinha agido como homem... (olha só a ironia).

Essa amizade continuou durante um ano, até que houve um convite para almoçar. Eu sempre tentei recusar, mas tu sempre insistias e acabei por ceder... éramos amigos, não tinha porquê recusar. Os almoços foram-se sucedendo, chegavas a fazer km’s só para vires ter comigo e cada vez que aparecias oferecias me flores e fazias me sentir especial, segura ao teu lado. Ligavas me só para ouvir uma musica, ligavas me porque tinhas saudades de ouvir a minha voz...e se me acontecia algo de bom ou de mau, a minha primeira reação era contar-te. Até que houve uma altura... em que cai! Não resisti às investidas e entreguei-me de corpo e alma.

Fraca e com uma autoestima demasiado baixa, viste em mim uma oportunidade perfeita de me moldar ao que querias. Foste elogiando, criando expectativas...não me deixando espaço para me aperceber no que me estava a meter. Como tinha complexos em usar cadeira de rodas, dei-te espaço, esperei que fosses tu a querer assumir algo sério... mas a verdade é que isso não aconteceu.
Aparecias de 15 em 15 dias, mas falávamos todos os dias ao telefone. Incluias-te nos meus planos futuros, olhavas me nos olhos e dizias que me amavas. Sentia-me completamente apaixonada por ti, a nossa química era fantástica e só de olhar para ti o meu mundo desvanecia-se e tu tornavas-te o centro do universo. Tinhas me na mão e sabias disso. Durante mais de 10 anos, lidei com a tua ausência, o teu afastamento temporário, mas sempre voltavas secretamente, sempre me procuravas por desejo.

Até que depois do meu aniversário, me dizes das coisas mais cruéis que já ouvi...que “voltaste a estar disponível e que tinhas o desejo de ser pai e que eu não servia para ser mãe de um filho teu”, então ias procurar alguém para uma relação mais séria. (sim... foram basicamente as tuas palavras). Completamente incrédula com a tua atitude, o meu mundo desabou literalmente...nunca pensei que fosses tão cruel, mesmo sabendo que tinha o desejo de ser mãe.  


E durante os 3,4 meses seguintes continuamos como antes e eu secretamente alimentava a ideia de que tudo o que já tínhamos vivido pudesse falar mais alto e chegarias a conclusão que podíamos tentar ser felizes, que de alguma forma eu merecia uma oportunidade. Como eu estava enganada... eu não passava de um ombro amigo que estava sempre lá. Que ninguém sabia da sua existência, e que jamais apresentaste/falaste a algum amigo. Por vergonha, por preconceito talvez...


E o tempo foi passando e apesar de continuarmos a sair e de nos envolvermos fisicamente, fazias de mim a tua confidente, nas tuas conquistas, mesmo sabendo que eu era completamente apaixonada por ti!


Era como se me espetasses uma faca no coração sempre que falavas de outras. Dizias que a situação comigo estava definida, que éramos apenas amigos... mas mesmo assim continuavas a vir ter comigo quando querias algo mais. E eu...parva aceitava a situação, como se achasse que não merecia mais do que isso. Como é que achas que eu me sentia, quando vinhas almoçar comigo e agias como se estivesses apaixonado e ao fim do dia mandas-me sms a contar que tinhas ido tomar café com uma “amiga”?!

As coisas que tu me dizias... as tuas atitudes contraditórias fizeram de mim uma autêntica boneca de trapos nas tuas mãos. Será que era assim tão difícil perceber que a minha atitude arrogante e irónica quando me contavas sobre as tuas conquistas amorosas eram apenas ciúmes?!

Até que o dia que eu mais temia chegou...disseste-me a uns 2 meses atrás, que estavas envolvido com uma pessoa e que era com ela que querias estar. E mais uma vez deste me um segundo “knock out”!

Fizeste questão em recordar-me, mais uma vez, que apenas estavas comigo até encontrares outra pessoa, que eu não passava de uma amiga/confidente. E apesar de saberes o quanto eu estava a sofrer, continuaste a enviar sms’s...a perguntar “se estou bem” ou apenas com um “Bom dia”. E eu não entendo, o porquê de permitir que me faças sentir como um lixo! E revolto-me comigo própria por não conseguir arrancar-te da minha vida! Por não conseguir dizer BASTA!

Como é que se ama alguém que nos olha nos olhos e diz que nos ama, e depois nos descarta com a maior das facilidades?! Se nunca tiveste intenção de me assumir, porque me iludiste e me fizeste acreditar no amor?! Se já não me queres mais, porque não me deixas ir...porque insistes em manter-me presa a ti? 

Apesar de não significar nada para ti, quero-te dizer que as saudades chegam a sufocar! Tudo em ti me completava, o sabor do teu beijo, o teu cheiro, a tua pele...e a forma como me beijavas/tocavas e me fazias tremer de desejo.

Todos aqueles momentos que eu pensei serem únicos para nós os dois, afinal não passaram de momentos banais para ti. E parte-me o coração saber que me entreguei a um homem que nunca teve coragem de me assumir.

Foste o grande amor da minha vida...e lamento que não tenha sido correspondida da mesma forma. E apesar de tudo, desejo que sejas feliz do fundo do coração, mas lamento não dá mais para mim...!
p.s.- Só tu vais entender - 4.

quinta-feira, 31 de maio de 2018

J.M


segunda-feira, 14 de maio de 2018

Shiuuuu.14.09



O tempo voa e não falta muito para que faça 1 ano que não trocamos uma palavra... E no fundo tínhamos tanto para falar, para sabermos os motivos que nos levaram ao ponto em que nos encontramos. tínhamos jurado que a base da nossa amizade seria sempre a sinceridade, que ficaríamos sempre juntas, independentemente das circunstancias, das teimosias de cada uma... 

Não sei em que ponto nos perdemos uma da outra, fazes-me tanta falta, choro tanta vez com saudades, choro de revolta... não te importas? Não te magoa? Não me procuras porquê?... Não sou  importante como dizias que era, essencial dizias tu! Não posso, não quero ser eu a procurar-te como fiz nas outras vezes. Queria acreditar que era importante para ti, como dizias, mas vejo que não ... nunca questionaste, nunca me procuraste... aceitaste! 
Continuo a desejar-te o melhor deste mundo e do outro...quando precisares de mim vou continuar aqui para ti, porque os verdadeiros amigos não se abandonam.

quinta-feira, 3 de maio de 2018

Shiuuuu.03.09



Ambas sofremos com a nossa relação, culpa minha, mas arrependo-me profundamente de todos os erros que cometi. 
Fomos duas jovens na descoberta daquilo que era a vida... daquilo que era amar verdadeiramente alguém pela primeira vez. Sim, foste o meu primeiro grande amor, a mulher a quem me entreguei pela primeira vez, com quem vivi momentos de descoberta, loucura e de revelações que jamais irei esquecer, nem tu seguramente. Ainda me recordo do nosso beijo de despedida e do quanto doeu perceber que se tratava disso mesmo... de um adeus. Um adeus até estas palavras. Mas nada é para sempre, como me dizias vezes e vezes sem conta, e apesar de na altura detestar essas palavras, hoje dou-te toda a razão. Pensei que jamais voltaria a amar de verdade, mas a vida surpreendeu-me e espero que sejas uma mulher feliz também e realizada profissionalmente. Só quero que saibas que farás sempre parte de mim com muito mas mesmo muito carinho.

Até sempre ***

quinta-feira, 5 de abril de 2018

Shiuuuu.05.10



"Sabes do que tenho ciúmes? 
Da tua almofada e dos teus cobertores. Quem me dera tocar na tua pele cm a cm. Beijá-la em todo o lado...
Uma noite selvagem. Sem regras. Um boa noite proferido ao ouvido. Em voz decente diabólica. Um boa noite percorrido por ti. De forma provocadoramente vagarosa. Um boa noite quente. Transpirado, Esperado. Desejado."

Não te consegui responder a isto. Invadiram-me milhares de sensações. E a de te querer mais ainda foi uma delas. 
Nunca to disse diretamente, mas estou a gostar muito de ti... Mesmo quando me tiras do sério ao tratar-me por bebé. :) 

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Shiuuuu.05.10


segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Shiuuuu.18.11